Categorias
Notícias

Menção Elogiosa: Conheça um dos pesquisadores premiados pela DIPEQ-CNAT

Com Doutorado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRN, concluído em 2006, o Prof. Dr. José Mateus do Nascimento, do Campus Natal-Central do IFRN, é o atual coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional (PPGEP) do IFRN. Lotado no CNAT desde maio de 2012, o docente é integrante da Diretoria Acadêmica de Ciências (DIAC), onde atua no Núcleo Didático-Pedagógico, na formação de professores nos cursos de Licenciatura em Geografia, Espanhol, Matemática e Física. 

O professor José Mateus do Nascimento é um dos pesquisadores que se destacaram no mapeamento realizado pela DIPEQ-CNAT. Na ocasião do levantamento, o docente recebeu Menção Elogiosa da Diretoria Acadêmica de Pesquisa e Inovação do Campus Natal-Central pela sua atuação enquanto pesquisador, tanto na qualidade quanto na produtividade dos trabalhos desenvolvidos por ele.

Confira a entrevista e conheça mais sobre o perfil desse pesquisador que inspira e orgulha toda a comunidade por fazer parte do quadro docente do Campus Natal-Central:

– Em que Grupo e Linha de Pesquisa o senhor atua?

No PPGEP-IFRN, estou vinculado à Linha de Pesquisa de Formação Docente e Práticas Pedagógicas e ao Núcleo de Pesquisa em Educação (NUPED), na condição de professor permanente.

– Há quantos anos o senhor trabalha como pesquisador? Quais seus trabalhos mais recentes desenvolvidos? Quais considera os mais relevantes?

Atuo como pesquisador desde o ano de 1996, quando comecei a atuar como bolsista de iniciação científica em projetos de pesquisa na UFRN. Recentemente, coordenamos o projeto de pesquisa “História da Educação Profissional no século XIX”, em Edital aprovado pela Dipeq/Propi/IFRN. Considero mais relevante as publicações de livros, resultados de pesquisas sobre a Especialização Proeja, ofertada pelo Cefet/IFRN durante o período de 2006-2011.

– Você trabalha com que tipo de pesquisa? Como é seu método de trabalho? Quem faz parte de sua equipe direta, há bolsistas ou o senhor trabalha sozinho? Utiliza laboratórios?

Desenvolvo pesquisas na área da história, da formação docente e das práticas pedagógicas na Educação Profissional. Integram a minha equipe de pesquisa estudante da licenciatura espanhol na condição de bolsista iniciação científica CNPq, estudantes do mestrado e doutorado do PPGEP-IFRN. Não utilizamos laboratórios, no modo presencial, realizamos reuniões de pesquisa na sala de reuniões da DIAC, na sala do NUPED. Atualmente, as pesquisas estão na forma remota, nos Repositórios Digitais disponíveis em plataformas na rede mundial de computadores. 

– Nesses anos de pesquisa, quais os diferenciais do seu trabalho enquanto pesquisador?

Temos nos esforçado em participar de eventos científicos e na publicação em periódicos para divulgação dos resultados das pesquisas que realizamos no campo da educação. Buscamos também articular nossa prática de pesquisa com as dimensões do ensino e da extensão.

– Como foi para o senhor o reconhecimento e o recebimento dessa Menção Elogiosa que o CNAT fez aos professores que mais se destacaram enquanto pesquisadores?

A princípio, surpreso, mas ao mesmo tempo lisonjeado pelo reconhecimento de nosso trabalho desenvolvido para o fortalecimento da pós-graduação no IFRN. Parabenizo a Diretoria de Pesquisa do CNAT, pela iniciativa e pela evidência dada ao trabalho de pesquisadores do campo da Educação Profissional e Tecnológica. Espero que a ação se perpetue na instituição.

– Na sua opinião, o que faz de alguém um grande pesquisador?

Dedicação e compromisso político com tudo que se dispõe a realizar. A pesquisa deve ser compreendida sob a ótica da função social, com o objetivo de contribuir com a qualidade de vida das pessoas em sociedade. Pesquisar para tornar cada vez melhor toda forma de vida, inclusive contribuindo para o processo de humanização.